VÍDEO: ‘irmão de igreja’ diz que estuprou crianças em pacto com o diabo para ser rico

Suspeito era amigo da família há cerca de 10 anos

Em depoimento à Polícia Civil, o homem de 38 anos suspeito de estuprar as filhas do amigo de 8 e 11 anos, confessou partes do crime alegando pacto com o Diabo para conseguir ficar rico. Os crimes ocorreram em Coxim, a 253 quilômetros de Campo Grande, e o homem foi preso nesta quarta-feira (20).

Ao Jornal Midiamax, a delegada Sandra de Brito Araújo da DAM (Delegacia de Atendimento a Mulher) detalhou que a denúncia dos estupros foi feita no dia 14 de setembro, o pedido de prisão no dia 15, mas só foi expedido pela Justiça nesta terça-feira (19), às 19h. O mandado foi cumprido às 6h, desta quarta-feira (20).

“É um crime hediondo e que esse pedido de prisão vale por 30 dias. Depois o juiz pode converter em prisão preventiva. Ele foi levado ao Estabelecimento Penal de Coxim”.

À polícia, o suspeito revelou em depoimento que teria feito um pacto com o diabo para ficar rico. Ele teria conhecido uma pessoa que ofereceu dinheiro caso ele fizesse o pacto com o diabo. Cansado de buscar a Deus e não ser abençoado, aceitou o acordo.

A relação sexual com uma inocente, a qual seria colocada em sua vida, era um dos passos do pacto, relatou o suspeito. O sinal de que as vítimas seriam as inocentes ‘certas’ para a conclusão do pacto, veio quando a menina de 11 anos teria perguntado sobre o que era “sexo”.

Os estupros foram descobertos pela mãe das meninas na semana passada, quando a mais velha revelou que o homem tinha voltado a tentar violentá-la. Uma das garotas detalhou os ataques, que tiveram conjunção carnal, enquanto a outra contou que era obrigada a praticar sexo oral.

A delegada disse que o suspeito confessa “em partes”, pois garante que não manteve relações sexual com a mais nova. A versão é rebatida pelo laudo, que comprova o rompimento de hímen das duas vítimas.

Durante depoimento, o suspeito confessou que iniciou os abusos em meados de agosto e setembro do ano passado. Porém, é muito difícil pontuar a quantidade de vezes ou tempo em que o crime foi iniciou, pois, as vítimas “não têm noção temporal muito correta”.

Próximo da Família

A delegada relatou que o suspeito era muito próximo da família e que, inclusive, era considerado como um irmão pelo pai das meninas. “As meninas frequentavam muito a casa dele. Se ele não fosse preso agora esses abusos não seriam interrompidos”, ressaltou.

O suspeito não quis comentar o pacto com a reportagem. “Eu dei um vacilo, pois o Diabo queria cirandar na vida dele e conseguiu”.

A pena é de oito a 15 anos para os crimes cometidos contra cada vítima. A delegada orienta que os pais prestem muito a atenção nos filhos e não confie em deixá-los com ninguém. As crianças já tiveram o primeiro atendimento psicológico

MidiaMax

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here