Professora é afastada por suspeita de revistar crianças ao desconfiar de celular furtado em Franca, SP

Escola municipal Professor e Escritor Nelson dos Santos Damasceno, em Franca, SP — Foto: Nathália Henrique/EPTV

Segundo mães, alunos de 8 e 9 anos foram castigados e tiveram objetos vistoriados no pátio. Telefone havia sido deixado pela educadora em casa. Prefeitura e Polícia Civil apuram o caso.

A Prefeitura de Franca (SP) afastou nesta segunda-feira (18) uma professora da escola municipal Professor e Escritor Nelson dos Santos Damasceno, no bairro Jardim Bonsucesso, após uma denúncia de constrangimento feita por mães de alunos. Elas alegam que os filhos, de 8 e 9 anos, foram submetidos a uma revista pessoal depois que a educadora suspeitou do furto do celular dela.

O caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e será apurado. A Secretaria da Educação abriu um procedimento administrativo para averiguação.

Segundo informações da Polícia Civil, os pais procuraram a delegacia na terça-feira (12) para relatar que uma professora do 3º ano do ensino fundamental dava aulas, quando percebeu a falta do celular. De acordo com uma das mães, a funcionária desconfiou de um furto e levou a turma toda para um castigo no pátio. As crianças ficaram sem recreio e tiveram bolsas e estojos revistados.

Ainda segundo relato da mãe, só depois a professora descobriu que havia deixado o celular em casa. A educadora teria pedido aos alunos para não contar nada aos pais e alegou que estava com problemas pessoais causados pelos estudantes.

De acordo com a denunciante, a mudança no comportamento das crianças chamou a atenção dos pais, que descobriram o que tinha se passado durante a aula. Onze mães procuraram a delegacia para registrar o boletim de ocorrência. O grupo alega que esteve na escola para pedir esclarecimentos à direção, mas foi informado de que os insatisfeitos deveriam procurar outra unidade de ensino.

Ainda de acordo com as mães, a direção afirmou que o caso havia sido informado à Ouvidoria e que a professora admitiu o erro.

A Prefeitura informou que a professora foi afastada da função temporariamente. Ela vai desempenhar atividades administrativas enquanto a situação é apurada.

A Secretaria da Educação esteve reunida com a direção da escola na segunda-feira e decidiu abrir um procedimento administrativo. Os pais também estão sendo ouvidos para esclarecimento do caso.

A delegada Christina Bueno de Oliveira informou que ainda é necessário a identificação correta da professora para que ela possa prestar depoimento.

“Ressalto que é prematuro afirmar acerca de eventual responsabilidade criminal, devendo o ocorrido ser devidamente apurado através não apenas da esfera criminal”, informou a delegada, em nota.

Uma cópia do registro policial foi encaminhada à Secretaria de Educação para conhecimento e providências que o órgão considerar cabíveis.

G1.com

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here